Crime sem Castigo

Todos os anos, no final do ano, vários jornalistas de todos os cantos do país, mandam perguntas sobre essas datas e o que desejamos para o ano que vai chegar.

Esse ano não foi diferente, mas uma delas me chamou mais atenção. Foi feita pelo Rodrigo Prado do Jornal A Tribuna, Espírito Santo, para o AT2, caderno de cultura.

Ele me perguntou: “O que você gostaria de esquecer (um momento da vida ou um acontecimento desagradável, por exemplo) e o por que? Não vale dizer que não gostaria de esquecer nada (risos).”

E minha resposta foi:

Esquecer de todas as vezes que tive que assistir cenas de violência contra animais e que os criminosos nunca são punidos por suas ações; esquecer todas as vezes que tive que suportar ouvir ataques preconceituosos dos hipócritas de plantão; esquecer que vivo num país que políticos são perdoados por seus deslizes, seus atos de desrespeito aos cidadãos que votaram neles e os sustentam nababescamente para que continuem com suas atitudes corruptas e desleais;  finalmente queria esquecer que o ser humano é um destruidor por natureza.

Depois fiquei pensando nessa mágoa toda que saiu de uma vez só, por uma janela sem tramela. Parecia um vento batendo forte e rompendo com todas as trancas.

E me pus a pensar que cheguei a esse final de ano com dores profundas.

Quis entender o porque dessas dores e vi que tinha razão de reclamar sobre tudo que respondi mesmo.

Todos os dias chegam milhares de avisos monstruosos sobre maus tratos aos animais. São amarrados em carros e motos, arrastados até a morte, levam tiros na cabeça, são espancados até morrerem, colocados para serem assados “vivos” dentro de micro ondas, esfaqueados porque têm medo de fogos e essas atrocidades todas, na maioria das vezes, são cometidas por seus próprios tutores.

Tutela quer dizer proteção, amparo. Tutor quer dizer alguém que defende. É derivado da palavra TUIÇÃO que é ato de DEFENDER.

Como assim? As pessoas estão chegando ao terror de espancar até a morte um animal de menos de 3 kgs, na frente da própria filha de 2 anos de idade e o que aconteceu à ela? Perdeu o direito de criar essa criança? Foi presa por cometer um crime desses? Está sendo julgada por crime hediondo? NÃÃÃÃOOO!!!

Estudos nos mostram que TODOS que praticam crimes contra humanos, começam praticando contra animais.

TODOS os serial Killers praticam crimes bárbaros contra animais desde a sua infância até quando começam a cometer contra humanos.

E aqui no Brasil nossos juristas, deputados, senadores não conseguem compreender essa lógica.

Esperam que tragédias aconteçam para aí julgarem o assassino de forma correta.

Vou citar alguns casos:

“Em 1998, Russel Weston entrou no Capitólio e começou a atirar ao redor, quando terminou dois policiais estavam mortos e um visitante ferido. Poucas horas antes, Weston já havia atirado em uma dúzia de gatos de rua alimentados por seu pai”;

“Albert de Salvo (o estrangulador de Boston) – Assassinou treze mulheres (na juventude prendia cães e gatos em jaulas para depois atirar flechas neles)”;

“David R. Davis – Assassinou a esposa para receber o seguro (matou dois pôneis , jogava garrafas em gatinhos, caçava com métodos ilegais)”;

“Edward Kemperer – Matou os avós, a mãe e sete mulheres (cortou dois gatos em pedacinhos)”;

“Henry L. Lucas – Matou a mãe, a companheira e um grande número de pessoas (matava animais e fazia sexo com os cadáveres)”;

“Jack Bassenty – Estuprou e matou três mulheres (quando sua cadela deu cria, enterrou os filhotes vivos)”;

“Jeffrey Dahmer – Matou dezessete homens (matava os animais deliberadamente com seu carro)”;

“Johny Rieken – Asassino de Christina Nytsh e Ulrike Everts (matava cães, gatos e outros animais quando tinha onze ou doze anos)”;

“Luke Woodham – Aos dezesseis anos esfaqueou a mãe e matou duas adolescentes (incendiou seu próprio cachorro despejando um líquido inflamável na garganta e pondo fogo por fora e por dentro ao mesmo tempo)”;

“Michael Cartier – Matou Kristen Lardner com três tiros na cabeça (aos quatro anos de idade puxou as pernas de um coelho até saírem das articulações e jogou um gatinho através de uma janela fechada)”;

“Peter Kurten ( o monstro de Düsseldorf ) – Matou ou tentou matar mais de cinqüenta homens, mulheres e crianças (torturava cães e fazia sexo com eles, enquanto os matava)”;

“Randy Roth – Matou duas esposas e tentou matar a terceira (passou esmeril elétrico em um sapo e amarrou um gato ao motor de um carro)”;

“Richard A. Davis – Assassinou uma criança de doze anos (incendiava gatos)”;

“Richard Speck – Matou oito mulheres (jogava pássaros dentro do elevador)”;

“Richard W. Leonard – Matava com arco e flecha ou degolando (quando criança a avó o forçava a matar e mutilar gatos com sua cria)”;

E até quando teremos que assistir esses políticos nos tratando como escravos de seu prazer?

E até quando o ser humano vai continuar sem entender que estamos aqui de passagem, esse não é nosso fim. Não adianta querer que a vida seja só ganância.

Em nome desse enriquecimento ilícito, destroem matas, rios, mares e tudo que NÃO nos pertence.

Isso sem falar nas milhares de crianças sem educação, população sem saúde e o m;inimo de condições de sobrevida por que o dinheiro que deveria seguir em direção a eles, vai para os bolsos dos mesmos comandantes do país.

É muito triste chegar ao final do ano percebendo que muito pouco conseguimos mudar dessa lama toda.

Mas é ótimo perceber o quanto ainda temos força para continuar lutando e quem sabe as tramelas que se romperam na minha reclamação sejam as mesmas que romperão com os grilhões da ignorância?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *